• LCPADVOCACIA

Decisão sobre dispensa em massa segue nova legislação, dizem advogados


A decisão do presidente do Tribunal Superior do Trabalho que liberou demissões em massa sem negociação com sindicato é o primeiro precedente da corte sobre a validade de um dos pontos relevantes da reforma trabalhista. O ministro Ives Gandra da Silva Martins Filho aplicou o artigo 477-A da Lei 13.467/2017 ao derrubar decisão de segunda instância e permitir a dispensa de 150 professores da universidade UniRitter.


O advogado Luiz Fernando Riskalla, especialista em Relações do Trabalho e sócio do Leite, Tosto e Barros Advogados, disse que antes da reforma só poderiam ocorrer dispensas em massa que fossem previamente negociadas e chanceladas pelo sindicato de trabalhadores, de acordo com a jurisprudência. Para ele, a decisão do TST gera maior segurança jurídica aos jurisdicionados.


Para André Villac Polinesio, especialista em Relações do Trabalho e sócio do Peixoto & Cury Advogados, a decisão mostra que as novas regras estão sendo seguidas pelo Judiciário e que as empresas terão mais segurança jurídica para tratar do assunto.

Ele aponta que não existia disposição legal para exigir a prévia negociação no caso de demissões em massa. “O entendimento de que era necessária a prévia negociação se deu em razão de decisões judiciais, razão pela qual o presente posicionamento é fundamental para reforçar a legalidade do texto da reforma trabalhista”, afirma.


Luciane Erbano Romeiro, coordenadora trabalhista do Nelson Wilians & Advogados Associados, entende que o posicionamento do presidente do TST está em consonância com a nova legislação. “Cabe salientar que demissões de empregados são um direito potestativo do empregador, desde que não viole direitos dos trabalhadores. Dessa forma, não precisa de negociação sindical para tanto”, avalia.


Renata Barradas, consultora da área trabalhista do Costa Tavares Paes Advogados, também entende que o entendimento de Ives Gandra segue a atual legislação trabalhista, mas ressalta que cada caso deve ser analisado conforme as particularidades da situação levada à Justiça.



Fonte: Revista Consultor Jurídico, 9 de janeiro de 2018, 10h21

Veja o conteúdo completo em:

https://www.conjur.com.br/2018-jan-09/decisao-dispensa-massa-segue-legislacao-dizem-advogados

Av. das Américas, n. 19.005, Torre 1, Sala 326   

CEP 22790-703, Recreio dos Bandeirantes

Rio de Janeiro - RJ

+55 (21) 97029-9249

Siga-nos nas redes sociais

NEWSLETTER

© 2017 Luiz Carlos Pinheiro - Consultoria e Assessoria Jurídica