• LCPADVOCACIA

Claro pagará R$ 20 mil a cliente por não tirar de seu cadastro jargão ofensivo


Decisão é da Justiça de GO

A Claro foi condenada pela Justiça de GO a pagar R$ 20 mil a um homem que descobriu, ao se dirigir a uma central de atendimento da empresa, que em seu cadastro na operadora constava a inscrição “xinga as operadoras de vagabunda”.


O autor contou na inicial que possuía um número, na época pré-pago, e que sempre que fazia uma recarga de R$ 20 seus créditos sumiam sem motivo. Ele tentou ligar no SAC da Claro várias vezes, sem conseguir resolver o problema. Inconformado, dirigiu-se à sede em sua cidade e foi procurar saber o motivo da perda de crédito.


O funcionário, ao fazer a consulta ao sistema, lhe informou sobre a anotação constante em seu nome: “xinga as operadoras de vagabunda”. Assim, requereu a procedência da ação para que fosse excluída a anotação e a condenação em dano moral no valor de R$ 25 mil.


Em janeiro de 2015, em audiência de conciliação, o autor e a Claro firmaram acordo no valor de R$ 5 mil, e a empresa se comprometeu a retirar do banco de dados a anotação.

Meses depois, o advogado do autor informou o juízo do descumprimento do acordo pela empresa, quando o consumidor descobriu em atendimento que ainda constava o jargão no banco de dados.


Na semana passada, a 2ª turma julgadora mista da 3ª Região dos JEC de Anápolis, por maioria de votos, concluiu:


“Restando cabalmente demonstrado nos autos o descumprimento da determinação judicial por parte da recorrente, e alegado por ela própria a impossibilidade administrativa de cumprimento da obrigação, a conversão em perdas e danos é medida que se impõe, como forma de satisfação do comando judicial.”


A turma considerou que não se admite a alegação da Claro de que não é possível a exclusão da anotação de seus sistemas, motivo pelo qual deve arcar com o custo do descumprimento da decisão judicial ao fazer opção por simplesmente não cumprir a determinação. E manteve o valor fixado em R$ 20 mil. O advogado Bruno Santos Cunha patrocinou a ação do autor.

  • Processo: 5631829.27.2014.8.09.0007


Fonte: migalhas.com.br

http://www.migalhas.com.br/Quentes/17,MI276450,81042-Claro+pagara+R+20+mil+a+cliente+por+nao+tirar+de+seu+cadastro+jargao

Av. das Américas, n. 19.005, Torre 1, Sala 326   

CEP 22790-703, Recreio dos Bandeirantes

Rio de Janeiro - RJ

+55 (21) 97029-9249

Siga-nos nas redes sociais

NEWSLETTER

© 2017 Luiz Carlos Pinheiro - Consultoria e Assessoria Jurídica